camaleaum

:::somos mutantes porque somos humanos:::

25.8.06

Ouvindo: Eu me Acerto - Zélia Duncan

Então cheguei ao carro e ela estava em prantos.
- O que houve? - perguntei.
- Estou grávida.
Fiquei por 2 segundos sem qualquer reação. Daí abri aquele sorrisão, dei-lhe um abraço e já me ofereci
- Quero ser madrinha!!!
Mas minha atitude naquele momento era de apoiá-la, porque nao seria fácil contar pros meus pais...
Errei.
Foi fácil.
Tão fácil que até pagaram a festa de casamento, reformaram a casa e arranjaram a igreja antes que eu pudesse dizer
super calli fragi listic expiali docious
E, de irmã apoiadora, me tornei a invejosa.
Nao sinto inveja de uma gravidez aos 20 anos.
Nao sinto inveja dela ir morar na casa dos meus pais com seu marido de 21 anos e seu bebêzinho.
Nao sinto inveja dela ganhar móveis de segunda para sua sala e seu filho.
Sinto inveja dos carinhos que meus pais dão pra ela. Sinto inveja dos dedos de minha mãe acariciando os cabelos dela. Sinto inveja daquele riso gostoso que meu pai dá quando fala da reforma da casa dela. Sinto inveja de quando as tias ligam pra saber como ela está. Sinto inveja de minha madrinha dando salão de festas pra ela casar.
Nao sinto inveja do que ela fez.
Tenho inveja do que nunca farão por mim.
Eu nao preciso.
Eu ganho bem, sou adulta, responsável, inteligente, saudável, bonita, independente...
Sou forte, sou altiva, sou centrada.
Nao preciso dos carinhos de minha mae. Nem do riso do meu pai.
Nem preciso que as tias se preocupem comigo.
Sou muito responsável.
Sou adulta.
Porque iria querer isso pra mim?