camaleaum

:::somos mutantes porque somos humanos:::

25.1.06

concreto e asfalto

Se eu fosse embora agora será que você entenderia
que há um tempo certo
para tudo
cedo ou tarde chega o dia

Se eu fosse sem dizer palavra será que você escutaria
o silêncio me dizendo que a culpa não foi sua

É que eu nasci com o pé na estrada com a cabeça lá na lua

Não vou ficar, não vou ficar, fiz bandeira desses trapos devorei concreto e asfalto
fiz bandeira desses trapos devorei concreto e asfalto

Tenho feito meu caminho
volta e meia fico só, reconheço meus defeitos
e o efeito dominó,

Mais se eu ficasse ao seu lado de nada adiantaria
se eu fosse um cara diferente sabe lá como eu seria

Não vou ficar, não vou ficar, fiz bandera desses trapos devorei concreto e asfalto
fiz bandeira desses trapos devorei concreto e asfalto

Fiz o meu caminho devorei concreto e asfalto,