camaleaum

:::somos mutantes porque somos humanos:::

25.1.06

concreto e asfalto

Se eu fosse embora agora será que você entenderia
que há um tempo certo
para tudo
cedo ou tarde chega o dia

Se eu fosse sem dizer palavra será que você escutaria
o silêncio me dizendo que a culpa não foi sua

É que eu nasci com o pé na estrada com a cabeça lá na lua

Não vou ficar, não vou ficar, fiz bandeira desses trapos devorei concreto e asfalto
fiz bandeira desses trapos devorei concreto e asfalto

Tenho feito meu caminho
volta e meia fico só, reconheço meus defeitos
e o efeito dominó,

Mais se eu ficasse ao seu lado de nada adiantaria
se eu fosse um cara diferente sabe lá como eu seria

Não vou ficar, não vou ficar, fiz bandera desses trapos devorei concreto e asfalto
fiz bandeira desses trapos devorei concreto e asfalto

Fiz o meu caminho devorei concreto e asfalto,

11.1.06

Problemas cardíacos

Achei que colocar um título "problemas do coração" seria piegas demais... mas estou com problemas seríssimos.

Preciso ir embora daqui.
A cada dia fica mais difícil, mais doloroso.
E eu simplesmente nao sei lidar com essas coisas.

Meu coração dói tanto... tanto.

As pessoas nao acreditam em mim. Nem no que eu digo, nem no que eu faço. E eu nao sei como ser mais óbvia. Eu falo, mas é como se falasse para paredes. Ninguém me ouve.
E isso me sufoca.

Eu lembro de uma frase bíblica: "Onde estiver seu tesouro, ali estará também seu coração"
É isso o que me move.
Dinheiro nao me compra. Nao importa a fortuna que possam oferecer. Meu coração é livre. Minha alma é cigana. Eu sou camaleão. Mas minha paixão, que é o que move, me trouxe pra um lugar perigoso. Tenho medo de ser contamidada pela maldade que vejo nos olhos das pessoas. Pelo egoísmo, pela ganância. Quero sair o quanto antes, mas existe alguém aqui que eu sei que vai se contaminar... e por mais que eu queira, nao posso salvá-lo disso. Ele nao quer ser salvo. Aliás, ele nem mesmo me quer por perto.