camaleaum

:::somos mutantes porque somos humanos:::

7.3.05

Muralhas

De volta ás minhas analogias...
Eu nunca deixei que ninguém se aproximasse tanto que pudesse ver minha alma. Coisa minha. Coisa de quem desconfia de tudo e de todos. E, acreditem, a maioria das pessoas não me supreende.
Mas algumas vezes, eu me sinto sufocada pelas muralhas que ergui ao meu redor.
Como agora.
Por mais que eu tenha queridos (e eles sabem quão queridos são), amigos creio que nenhum.
Ou, melhor, tenho eventuais amigos que compartilham comigo apenas (e somente) interesses em comum. Apenas um (somente um) conhece o alfa e o ômega da minha vida. E esse, nao sei se terei pra sempre comigo.
Devo derrubar minhas muralhas?
Abrir mão de minha segurança?
Não sei...
Primeiro porque acho que nenhuma criatura teria paciência pra ouvir minhas mazelas. Segundo, porque ninguém pode me ajudar realmente.
E terceiro, porque já sofri ataques de pessoas que julgava serem minahs amigas, e que me feriram... e se eu tiver que morrer, que seja pela espada do inimigo, e não pelo beijo envenenado de algum Judas.