camaleaum

:::somos mutantes porque somos humanos:::

24.1.05

A vida é tão rara...

Por 75 dias a única irmã de meu pai (e minha madrinha) esteve numa UTI.
Os olhos dela se fecharam na sexta-feira, dia 21.
Na minha crença, a vida não acaba quando nossos olhos se fecham, porque nosso espírito é eterno, mutável e criado para um único propósito: perfeição.
A perfeição virá de muito trabalho, em muitas vidas.
O Senhor disse que "aquele que crê em mim, ainda que esteja morto viverá", eu eu creio nessa verdade. Por isso, não usarei o termo "morte".
Ela nao morreu.
Vai levar um tempo até que nós, que ainda estamos nesse mundo, compreendamos essa partida.
Toda despedida dói. Eu lembro ter chorado horrores quando meu pai fez sua primeira viagem longa, há uns dez anos. E até hoje, todas as vezes que ele sai de casa, o coração fica pequenino, mesmo sabendo que ele vai voltar. Imagine, então, como fica o coração quando a gente sabe que quem a gente ama nao voltará.
Eu creio que agora ela está num lugar de cura, onde todas as suas dores serão tratadas, até que seu espírito esteja forte o bastante pra recomeçar.
O espiritismo explica muita coisa da morte, da vida, desse circulo sem fim, mas duvido que haja religião no mundo que explique a saudade.