camaleaum

:::somos mutantes porque somos humanos:::

18.10.04

Os calos do meu pé

Coisa estranha essa de ficar desempregado.
Estranho porque eu, particularmente, nao vejo desemprego em lugar algum. A gente perde o registro na carteira, pega o seguro-desemprego, vai na 25 de março e passa a fabricar bijous e vender pras amigas. Faz propaganda boca-a-boca de que AINDA está atuando na sua área e de vez em quando o amigo do amigo do amigo te chama pra dar uma geral na empresa dele. Voce levanta uma grana e volta pras bijous.
Mas um dia alguém te liga e diz "gostei do seu curriculo e queria fazer uam entrevista contigo, pode ser?"
E é aí que doem os calos do meu pé.
Primeiro porque o infeliz que te liga nunca pode falar o quanto a empresa pretende pagar. E nao me venha com essa de que nao é de bom tom perguntar o salário. É muito pior vc chegar na entrevista esperar 1:40 hs pra ser atendido pelo entrevistador que é "sempre muito ocupado" e descobrir que o cara quer te pagar 1/3 do que voce vale! E vc ainda perde o dinheiro da condução, seu tempo, sua paciência... cara, isso faz mal pro fígado!
Ah, nao... Gosto de coisas claras.
Primeiro: me digas qto queres me pagar e eu te digo se me interessa
Segundo: se vc marcar ás 12, esteja lá ás 12!
Terceiro: nao me julgues se nao fores da área.
Rídículo esse povinho de RH que pensa que pode analisar alguém de TI. Eles nem sabem do que vc está falando, ficam com testes de escolher animaizinhos ou passar a tesoura, como se isso fosse provar que um bom observador ou um tremendo cara-de-pau é um bom profissional.
Isso dói, amigos.
Dói os calos.