camaleaum

:::somos mutantes porque somos humanos:::

8.9.04

Dificulidades

Creio que minha maior dificuldade hoje é aprender a esperar.
Aliás, sempre fui um tanto esbaforida com relação á espera. Detesto ficar 15 minutos esperando pela consulta médica, 30 min. pleiteando uma vaga de emprego ou meses esperando alguém voltar.
Mas a vida tem caminhos estranhos, longos, tortuosos... e então o que mais odiamos torna-se nosso companheiro inseparável.
Hoje a espera por mim é chamada Esperança. Amiga inseparável. A cada dia. A cada minuto. Eu fico esperando.
Uma amiga por vezes cruel, mas ás vezes me dá o prazer de sentir que logo a espera termina. Daí eu me animo denovo, e continuo esperando, com mais esperança.
Mas na maioria das vezes, dói, dói tanto que eu choro. Dias inteiros. Intermináveis noites.
Dizem que o amor nao dói, porque se é amor tem que ser uma coisa boa. E eu acredito que o amor nao doa. O que dói é a bagagem que o amor carrega: a saudade, a paixão, a espera...
Minha amiga (a Esperança) me corta a carne vez ou outra... me entristece quando o tempo parece nao ter fim. Mas me abraça e ouve meu lamento, me beija a face e jura que ele vai voltar. Talvez seja esse mesmo o papel dela, afinal. Mostrar o quão dura é a realidade, mas nos fazer acreditar que todo final é feliz.