camaleaum

:::somos mutantes porque somos humanos:::

20.9.04

Amigos.

Adoro encontrar meus amigos no icq. Hoje, então fui mais feliz ainda por ter encontrado Camafunga. Doce, queridíssimo e sempre com palavras animadoras, há muito ele é meu irmão amado.
Penso, ás vezes que a internet veio revolucionar os valores familiares. Nos anos 90 falava-se muito em independência. Nunca compreendi o porquê de sermos sozinhos pra provar que somos independentes. Bom, eu nunca fui independente, porque sempre amei ter pessoas assim, como Camafunga por perto.
Nao apenas ele, mas também Tarciso, Fábio, Gravata, Dani, Dennis, Íris, Camilaum e uma centena de pessoas que nao cabem aqui, mas que eu amo e das quais morro de saudades.
Bem, um post pra dizer que vocês me fazem muita falta, meus queridos.
Amo vcs.

11.9.04

Existem provas de amor, mas não existe amor

É a música que estou ouvindo na cyber-qualquer-coisa, agora.
Estou online com mi Dushi. Estranho namorar de longe, por msn, por torpedo, por telefone. Demorei muito pra compreender os motivos dessa distância. Me senti traída por ela, como se nao fosse certo essa separação repentina. E agi como uma pessoa traída. Fiquei indignada, revoltada, triste.
Hoje, algo mudou. A distância é a mesma; A situação é igual. Mas eu nao vejo mais como via antes.
Não parou de doer, mas eu parei de gritar. Por mais que isso pareça ridículo, muda muita coisa, porque se voce sente dor, mas diz que nao sente, ninguém tem como saber.
Nao mudou meu jeito de ver as coisas, ainda. Mas mudou ojeito como eu acho que devia vê-las. E isso, acreditem, é uma grande mudança.

8.9.04

Dificulidades

Creio que minha maior dificuldade hoje é aprender a esperar.
Aliás, sempre fui um tanto esbaforida com relação á espera. Detesto ficar 15 minutos esperando pela consulta médica, 30 min. pleiteando uma vaga de emprego ou meses esperando alguém voltar.
Mas a vida tem caminhos estranhos, longos, tortuosos... e então o que mais odiamos torna-se nosso companheiro inseparável.
Hoje a espera por mim é chamada Esperança. Amiga inseparável. A cada dia. A cada minuto. Eu fico esperando.
Uma amiga por vezes cruel, mas ás vezes me dá o prazer de sentir que logo a espera termina. Daí eu me animo denovo, e continuo esperando, com mais esperança.
Mas na maioria das vezes, dói, dói tanto que eu choro. Dias inteiros. Intermináveis noites.
Dizem que o amor nao dói, porque se é amor tem que ser uma coisa boa. E eu acredito que o amor nao doa. O que dói é a bagagem que o amor carrega: a saudade, a paixão, a espera...
Minha amiga (a Esperança) me corta a carne vez ou outra... me entristece quando o tempo parece nao ter fim. Mas me abraça e ouve meu lamento, me beija a face e jura que ele vai voltar. Talvez seja esse mesmo o papel dela, afinal. Mostrar o quão dura é a realidade, mas nos fazer acreditar que todo final é feliz.

2.9.04

Olá, menininhos.

Quando comecei o blog, queria apenas um diário virtual. Com o tempo foram aparecendo pessoas, e a casa precisou crescer. Então me mudei pro Blogger*, onde durante 3 anos fui muito feliz. Mas os anos passam, a casa recebe mais e mais pessoas, e por algum motivo que nem eu conheço bem, vou me sentindo visita em minha própria casa. Nao gosto de multidões, de estranhos, dessas coisas de popularidade. Foi por isso que eu voltei para meu sobradinho aqui. Precisa de uma reforma, é verdade, mas como é bom voltar pra casa!!!!
Aqui, meus amigos serão sempre bem vindos pro chá, pro jantar, pro fim de semana.
Aqui eu sei que posso ficar um tempão sem postar, que ainda assim, minha casa não ficará ao deus-dará!
Amo vocês, volto em breve com novidades quantíssimas. Mas já posso adiantar um projeto: uma empresa.
Beijos, moços e moças.